Cursos Livres da Escola de Teatro

O Bichinho do Teatro

Dizem que quem faz Teatro corre o risco de ser picado por um bichinho – o Bichinho do Teatro. Se você é picado por ele, sinto dizer, você nunca mais será curado. Você pode parar de fazer de Teatro porque a vida segue rumos inimagináveis, mas dentro de você ficará este desejo de um dia voltar.

Os Cursos Livres da Escola de Teatro da Fundação das Artes, acima de tudo, propõem o Teatro enquanto experiência. A palavra experimentar nos leva a uma liberdade absurda. Não há erros, porque é uma experiência. Não há uma forma definida porque é uma experiência. Por não ter predefinições, precisamos acionar elementos primordiais para que a experiência aconteça – a escuta e o respeito.

Experimentando o Teatro aprende-se mais sobre como podemos ser mais colaborativos e propositivos, compreendendo que cada um é peça fundamental para construirmos algo, no nosso caso uma cena ou um espetáculo.

Um dos pensamentos da Escola Livre, que atende crianças a partir dos 07 anos e adolescentes até 17 anos; e adultos a partir dos 18 anos, é estimula-los à criação por meio da comunicação intensa entre os alunos. Esta comunicação se dá por meio dos jogos tradicionais e teatrais, da compreensão do texto teatral e da criação coletiva. Estas etapas se dão por módulos anuais: Preparatório (jogos), Prática (compreensão do texto teatral).

Os Módulos observam o desenvolvimento de cada aluno e muitas vezes os alunos repetem os módulos. Vale lembrar que na Arte não há repetição. Os alunos são convidados a participar de uma nova experiência seja por conta da faixa etária, seja para assimilar melhor alguns conceitos teatrais, ou simplesmente, para aprimorar sua forma de se comunicar. Ao final do ano os alunos apresentam sua pesquisa em forma de Exercícios Cênicos. Chamamos de Exercícios pois cada turma experimenta seu projeto de pesquisa juntamente com seu Orientador. O Exercício estende-se com a presença do público, pois com a presença deste pode-se observar muitas transformações no ato de fazer, momento em que eles exercitam ser Ator.

E assim, de experiência em experiência, o Bichinho surge e a gente não tem mais vontade de parar.